V:TES é do Brasil!!

Cardgame baseado em Vampire the Masquerade terá uma versão em português, no melhor estilo Pt-Br.

V:TES é do Brasil!!

A Conclave Editora, empresa mineira especializada em Cardgames e Boardgames, recentemente adquiriu os direitos de distribuição do jogo nas terras brasileiras. Isto já seria uma boa notícia, pois o jogo estava disponível apenas para quem o comprasse através de importação, mas neste sábado, dia 18 de maio de 2019, a Black Chantry, empresa que detém os direitos do cardgame Vampire: The Ethernal Struggle (V:TES) postou em seu site a seguinte nota:

“You wanted Vampire: The Eternal Struggle in other languages, and Black Chantry Productions listens. The first non-English cards to be produced will be in Brazilian Portuguese! Our partner in Brazil is Conclave (www.conclaveweb.com.br) and the first products will be out this summer. Stay tuned for more about VTES translations – great news are coming!”

Tradução:

“Vocês queriam Vampire: The Eternal Struggle em outras línguas e a Black Chantry Productions ouviu. Os primeiros cards a serem produzidos serão em Português Brasileiro! Nosso parceiro no Brasil é a Conclave (www.conclaveweb.com.br) e os primeiros produtos sairão neste verão (americano). Fiquem ligados para mais sobre as traduções de VTES – grandes novidades estão chegando!”

V:TES é do Brasil!!

Esta notícia foi muito bem recebida pelos fãs, que comentam a importância da tradução do jogo para aumentar a sua base de jogadores. Fator essencial para a longevidade do jogo.

Um pouco sobre o V:TES

Vampire: The Eternal Struggle é um jogo de cartas colecionáveis baseado no RPG Vampiro: A Máscara, publicado pela White Wolf, Inc.

O jogo foi projetado em 1994 pelo matemático e designer de jogos Richard Garfield (o mesmo criador de Magic The Gathering) e inicialmente publicado pela Wizards of the Coast com o nome de Jyhad.

Depois da expansão Sabbat, de 1996, a empresa abandonou sua publicação, e em 2000 a White Wolf assumiu o seu desenvolvimento. É atualmente um dos jogos de cartas colecionáveis mais antigos existentes no mercado. Ele é freqüentemente abreviado como VTES ou V:TES.

Em 2004, a revista americana Inquest Gamer escolheu V:TES como o melhor jogo de cartas colecionáveis de todos os tempos para dois ou mais jogadores.

O jogo possui uma dinâmica única que permite aos jogadores realizar acordos entre si, além de combinar apoios políticos e estratégicos a fim de obter o melhor resultado para “ambos” os jogadores. Como esta dinâmica de realizar acordos, não está descrita em seu manual de regras, ou em regras de torneios, estes acordos podem ser quebrados, mas quem o faz normalmente é mal visto pela comunidade e apontado como não cumpridor de acordos, prejudicando o jogador em futuras partidas em que sua má fama o preceder.

V:TES é do Brasil!!

Além das mecânicas, muito bem estruturadas, a beleza das cartas são um show à parte! Trazendo ilustrações que remetem ao estilo punk-gótico, popularizado pelo RPG Vampiro A Máscara, que ambienta o card, muitos fãs do jogo, já associam o estilo da ilustração da carta aos seus autores, que possuem o crédito em rodapé. Entre os nomes mais conhecidos estão Christopher Shy, Drew Tucker entre outros autores renomados.

O jogo conta hoje com quatro torneios continentais: Norte-Americano, Sul-Americano, Europeu e Australiano, além de vários torneios nacionais, incluindo o Brasileiro e o Português.

O Brasil possui uma base de jogadores forte com muitos deles atuando desde o seu lançamento em 1994. Mesmo com os altos e baixos do jogo, somos a maior base de jogadores ativos do mundo em V:TES! Este passo da Black Chantry é um reconhecimento merecido e conquistado pela comunidade nacional do jogo.

Curta a página do Papo Aleatório para mais novidades.

Curta também a nossa página do NERDCARD no Facebook.

Não deixe de se inscrever em nosso canal do Youtube: youtube.com/c/papoaleatorio e de fazer seu comentário aqui no site!

Related posts

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.