PATHFINDER 2: NOVO RPG DA PAIZO RECEBE REVIEWS MUITO POSITIVAS!

A poucas horas do lançamento oficial do PDF de Pathfinder 2ª Edição pela Paizo, já é possível ler na mídia especializada americana diversos reviews sobre o conteúdo final do livro. A empresa enviou o livro básico e o bestiário de seu novo jogo para alguns canais e sites de maior influência dentro do mercado americano para serem analisados e comentados e o resultado está sendo muito positivo. Além disso, quem tem a plataforma Fantasy Grounds no Steam pode já ter acesso ao livro de regras de maneira antecipada.

O Papo Aleatório reuniu neste artigo alguns dos principais pontos abordados sobre os livros em inglês nestas resenhas americanas para sua comodidade:

SOBRE O SISTEMA

O livro básico de 640 páginas, possui um índice muito bem estruturado que permite ao leitor ficar ciente de todo o conteúdo com pouco esforço sem falar que o capítulo introdutório é rápido e eficiente em apresentar conceitos fundamentais para logo a seguir expandi-los de uma forma muito orgânica. A essência dos novos termos e conceitos básicos do sistema são oferecidos ao leitor com o intuito de estabelecer a sua adaptação ao que vem depois. Pode parecer de inicio uma sobrecarga informacional, mas é intencional e permite tanto o mestre como jogador voltar ao capitulo inicial e repassar os detalhes básicos sem precisar buscar uma informação que estaria pulverizada em três páginas diferentes.

PATHFINDER 2: NOVO RPG DA PAIZO RECEBE REVIEWS MUITO POSITIVAS!

O Pathfinder 2 usa um novo mecanismo chamado proficiência. Essa novidade permite um personagem ser competente em diversos aspectos do jogo, além do que funciona como a base de ataque e bônus para testes de resistências. Um dos aspectos mais interessantes é que essa mecânica afeta sua classe de armadura. A progressão de proficiência tem aumentos discretos que alcançam até o valor de 8 e que somam com o seu nível para determinadas situações e ações.

Durante a leitura, veremos explicações detalhadas de habilidades bem como símbolos de referência ao estilo do que foi feito em Starfinder. Essas notações são uteis para os jogadores se organizares e compreenderem cada aspecto das habilidades das classes, magias e talentos. Por falar em talento, o livro básico trás uma grande quantidade e talentos para o jogador escolher e um resumo reunido em uma única página.

Baseado na experiência pregressa de um década de jogo e com o feedback de mais de 125 mil playtesters, a Paizo apresenta no Pathfinder 2 uma divisão explícita entre encontros (lutas medidas em iniciativa e rodadas), exploração (medida em minutos ou horas) e tempo de inatividade (medido em dias a anos). Os mestres e jogadores podem usar essa metodologia modular para gerenciar melhor suas aventuras e maximizar seu tempo de diversão.

SOBRE ANCESTRALIDADE, CLASSES E CUSTOMIZAÇÃO

Os jogadores de Pathfinder 1a. Edição que estavam acostumados aos traços raciais terão agora que fazer algumas escolhas bem difíceis. Você quer que seu anão seja capaz de entender construções de pedra e similares? Tudo bem, mas saiba que ele não poder ter treinamento de batalha contra gigantes. Você quer que seu elfo tenha resistência aos efeitos mágicos do sono? Sem problema, mas vai ter que deixar de lado aquela proficiência gratuita em arcos longos. A essência agora é deixar as personagens dos jogadores algo totalmente único e divertido de jogar sem abandonar o conceito de desafio. Essas escolhas também ocorrem com as classes, fazendo com que dois personagens de uma mesma profissão nunca sejam iguais. Alguns aspectos do Pathfinder 2 ainda são similares ao D&D 5, mas recebem um tratamento muito mais elegante e amplo, permitindo mais uma vez, adequar seu personagem para o seu estilo de jogo e gosto pessoal.

As ancestralidades são extremamente importantes, pois seu personagem manifesta algum aspecto racial novo a cada nível que alcança. A maior novidade das ancestralidades, como já foi comentado envolve a possibilidade de se jogar com os Goblins!

PATHFINDER 2: NOVO RPG DA PAIZO RECEBE REVIEWS MUITO POSITIVAS!

Apesar de termos classes mais do que conhecidas no mundo de fantasia medieval que todos os Dungeons and Dragons em suas diversas edições nos presentearam, as que aparecem no Pathfinder 2 apresentam um certo refinamento quanto a sua função e incentivam a serem exploradas ao seu limite. Os alquimistas por exemplo são capazes de criarem poções incríveis e bombas… além disso tem acesso a uma versão da metamagia em uma das muitas opções de talento e habilidades de classe que pode deixa-los ainda mais versáteis. Os Magos agora fazem contra-mágica específicas, sendo que para poderem ser mais genéricos nessa habilidade é necessário investir em talentos específicos. Outro destaque nessa edição é que druidas de niveis mais altos podem se transformar em monstros gigantes.

SOBRE INCLUSÃO

A Paizo ouviu seus fãs e mais uma vez, acerta o trazer uma maior inclusão no Pathfinder 2. Não estamos só falando das escolhas dos Designers em apresentar a pluralidade dos gêneros (e até ausência deles) no jogo, mas sim apresentar com certa maestria a possibilidade de usar personagens surdos e com dificuldade auditiva. Há uma seção inteira dedicada a estas personagens na parte de idiomas do jogo.

DO BALANCEAMENTO E JOGABILIDADE

Todas as reviews encontradas mostram que o jogo possui um enorme balanceamento, para evitar que certas classes e combinações de ancestralidades sobreponham outras. A progressão dos níveis é cuidadosamente feita para dar o jogador a sensação de estar melhorando a cada nova conquista, nunca deixando a personagem se esvair em meio aos números e habilidades que recebe. Cada classe tem subclasses (similares aos “arquétipos” em D&D) para serem escolhidos e cada um delas segue por um caminho bem distinto do outro com suas próprias escolhas.

A seção que trata da magia por exemplo, define diferenças entre os quatro tipos (divina, arcana, ocultismo e primitiva para clérigos, magos, bardos e druidas, respectivamente) e dá um gosto especial a cada uma, sem privilegiar nenhuma em relação as outras. As classes, ancestralidades, talentos e magia criam um leque vasto de idéias que vai entreter os jogadores de sua campanha por muito tempo sem perder a diversão que cada uma oferece.

Um detalhe importante é que a magia em Pathfinder 2 possui certa progressão de poder, mas não destrói o balanceamento do jogo. Os Feitiços de Foco por exemplo só estão disponíveis através de certos recursos de classe e seus espaços de magia (Spell Slots) só podem ser recarregados gastando 10 minutos para meditar. Eles permitem o acesso a algumas das habilidades de classe mais icônicas, como inspiração bárdica e habilidades de Ki do monge. Felizmente, esses feitiços recebem sua própria seção do capítulo de conjuração; Seria um pesadelo tentar encontrá-los misturados nas listas gerais de magias o que mais uma vez comprova o cuidado com a estruturação do livro de regras. Os feitiços rituais levam pelo menos uma hora para serem lançados e têm outros requisitos mais especializados, mas eles não exigem que uma criatura tenha habilidades de conjuração para usar. Dessa maneira, é possível que rituais sejam executados por indivíduos extremamente ineptos nos caminhos da magia a ponto de você criar as famosas cenas de “vamos selar o monstro em outro plano de existência” mesmo após o mago do grupo de heróis e heroínas ter sido derrotado!

As reviews apontam um problema com as magias envolvendo componentes. Alguns feitiços requerem componentes materiais, mas não há nada a dizer sobre que componentes são esses ou como obtê-los – além de uma declaração geral de que todos os componentes estão geralmente em sua bolsa de componentes mágicos. A questão aqui é que isso cria mais uma mecânica a ser observada. Todas as magias possuem palavras-chaves para organiza-las e para jogadores novatos pode ser um tanto demorado para absorver, porém é parte da curva de aprendizado do sistema.

A maior evolução do sistema de Pathfinder 2 veio de Starfinder, ou seja a questão da economia de ações. Todos os personagens tem 3 ações para fazerem o que bem entenderem com elas, desde atacar três vezes a mover-se e conjurar magias. A flexibilidade das ações pela rodada é algo muito bom para dar ao jogo uma dinâmica e letalidade que vai deixar os participantes menos estáticos em suas decisões.

PATHFINDER 2: NOVO RPG DA PAIZO RECEBE REVIEWS MUITO POSITIVAS!

Considere que os escudos tomam uma ação para usar, a penalidade de multi-ataque desestimula mais de um ou dois Golpes por turno até você alcançar os sonhados níveis mais altos, e os personagens precisam se mover para engajar no combate contra seus alvos. A maioria dos feitiços ainda toma duas ações para conjurar, o que se traduz no equivalente ao Pathfinder 1E de uma ação de movimento, menor e padrão.

O sistema de XP recebeu uma revisão completa: agora, cada nível leva 1.000 XP para ser alcançado, com monstros e desafios fornecendo uma quantidade variável de XP com base na média do nível do seu grupo de aventureiros. Além disso, há uma mecânica de “orçamento de encontro” que orienta o Mestre a desenvolver a melhor opção de desafio possível. O sistema de XP leva em consideração desafios sociais ou de exploração, o que permite recompensar os jogadores sem dificuldades, já que você pode basear o prêmio XP em um CD apropriado para qualquer nível que você queira.

Uma coisa é certa, os designers do jogo se inspiraram em diversas mecânicas de outros sistemas para levar o que melhor funcionou neles para dentro do Pathfinder 2. Por exemplo, o dano persistente (dano recebido no final de cada turno, deve ser feito um teste não modificado que é usado para ver se o dano cessa) parece muito com dano contínuo de D&D 4E; e os efeitos de fortuna e infortúnio (rolando dois d20s e levando o melhor / pior resultado) foram definitivamente inspirados em vantagem e desvantagem de D&D 5E; A distância de queda é mais ou menos consistente com a matemática e o dano é apenas um número fixo baseado na dita queda, podendo atingir 750 pontos de dano! Perigos provenientes do ambiente foram padronizados seguindo a mesma lógica. Durante o combate a iniciativa é baseada com um teste de percepção, não mais sendo algo ligado a destreza. Assim sendo, toda a vez que a inciativa empatar, quem começa o combate é sempre os adversários.

DAS PERÍCIAS

Outra grande novidade é a questão de algumas perícias necessitarem de requisito minimo de proficiência para se poder usa-las, evitando que um personagem com grande conhecimento em uma área seja ofuscado por um teste de sorte de um total incompetente. Todas as perícias possuem a divisão Destreinado, Treinado, Especialista, Mestre e Lendário. Por exemplo, um perícia de sobrevivência em nível “especialista” permite você possa “navegar com sucesso num labirinto de plantas”; enquanto um nível “lendário” vai garantir que a mesma habilidade lhe permita “navegar em um reino de sonho em constante mudança”. O Pathfinder 2 também acabou com os testes resistidos. Personagens e criaturas usam uma classe de dificuldade (CD) igual a 10 mais qualquer bônus que tenham para um tipo de resistência ou perícia aplicável. Por exemplo, em vez de aplicar um teste de Furtividade contra Percepção, você simplesmente realiza um teste de furtividade contra o CD de Percepção do alvo.

DO BESTIÁRIO

Grande parte do material do Bestiário se baseia nos padrões estabelecidos no livro de regras central em termos de blocos de estatísticas e as palavras-chave, e há uma seção introdutória no livro para relembrar você desses detalhes.

PATHFINDER 2: NOVO RPG DA PAIZO RECEBE REVIEWS MUITO POSITIVAS!
PATHFINDER 2: NOVO RPG DA PAIZO RECEBE REVIEWS MUITO POSITIVAS!

Sem dúvida, o melhor deste livro é o cuidado e atenção que a Paizo dedicou em diferenciar essas criaturas de seus análogos de D&D. Você pode sentir essa escolha de design em tudo, desde as descrições até as habilidades e, claro, o poder relativo dos monstros. Outro detalhe importante é que em meio a tantos detalhes, há diversas oportunidades de se explorar cada criatura de forma distinta, sem falar que algumas receberam artes impressionantes que já servem para inspirar qualquer mestre nao importando se é iniciante ou veterano. Durante a leitura, há orientações de como usar as criaturas e no final do livro, os desenvolvedores apresentam uma pequena surpresa escondida, há uma barra lateral que deixa claro que os tubarões raramente prejudicam os humanos e que o perigo deles é muito exagerado pelos contos dos sobreviventes. Pode parecer simplório essa observação, mas é um estimulo aos narradores a pensar fora da caixa!

SOBRE PATHFINDER 2 EM PORTUGUÊS

É importante salientar que o livro básico trás uma quantidade enorme de informações sobre o cenário de jogo, porém tudo ali será ampliado na publicação do suplemento Presságios Perdidos. A New Order Editora está em campanha de financiamento coletivo do Pathfinder 2 e já desbloqueou todas as principais metas, alcançando 305 mil reais de arrecadação e conta com mais de 900 apoiadores. Hoje, dia 1 de agosto, teremos o inédito lançamento do livro básico em PDF em português de maneira simultânea ao em inglês, um feito inédito em no mercado nacional de RPG.

PATHFINDER 2: NOVO RPG DA PAIZO RECEBE REVIEWS MUITO POSITIVAS!

Quem desejar apoiar essa campanha e ter um exemplar de Pathfinder 2ª Edição em sua coleção, basta visitar este link do Catarse! Faltam 15 dias para o final da campanha…

Related posts

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.