CRÍTICA: TOY STORY 4 (Sem Spoilers)

Um uma palavra? Espetacular! A Pixar conseguiu mais uma vez fazer um filme de Toy Story que supera o ultimo em impacto narrativo e emocional. Prepare-se para rir até cair da cadeira e ao mesmo tempo verter lágrimas como uma represa aberta!

CRÍTICA: TOY STORY 4 (Sem Spoilers)

Nós vimos a versão dublada do filme e não perde em nada em atuação e emoção ao original em inglês.
Coelhinho e Patinho são interpretados pela dupla Keegan-Michael Key e Jordan Peele, porém suas vozes aqui no Brasil são de Antonio Tabet (Porta dos fundos) e Marco Luque. O elenco de dubladores brasileiros é o mesmo dos outros filmes da franquia Toy Story e selecionados pelo departamento de voz da Disney.

O diretor Josh Cooley trabalha de forma magistral os detalhes apresentados pelo roteiro de John Lasseter, Andrew Stanton e Stephany Folsom que mostra o que aconteceu com a boneca de cerâmica Bete e seus carneirinhos, ao mesmo tempo que trás novidades sobre o universo de Toy Story!

Garfinho é um dos muitos personagens novos que temos o prazer de conhecer e nos importar a cada cena. Carismático e simplório, este é um dos pontos altos do filme que apresenta o momento em que desperta como brinquedo e cria uma jornada de autoconhecimento.

Até mesmo os vilões são incrivelmente carismáticos e com propósito, fazendo pensar que o mal é só uma face de um problema que pode ser resolvido se você pensar em abraçar novas possibilidades.

CRÍTICA: TOY STORY 4 (Sem Spoilers)

Como já vimos no trailer, Gaby Gaby é uma boneca ao estilo mafiosa com direito a capangas engraçadissimos, mas todos seus momentos em tela são de grande drama e reflexão sobre sua condição. Até mesmo os humanos neste filme tem uma relevância enorme na narrativa, pois conhecemos mais sobre os pais de Bonnie e outros personagens ligados a loja de antiguidades.

O personagem Kaboom, cuja a voz no original é interpretado por Keanu Reeves, é um show a parte, trazendo o trauma que um brinquedo passa ao desapontar uma criança. A narrativa de superação é um tom constante neste novo longa de Toy Story e foi muito bem explorado.

Destaque especial para a personagem Bete que passou de uma doce bonequinha para um brinquedo decidido que vê o mundo de forma mais ampla, bem como tem uma parceira hilariante na forma de uma minifigura policial. Além dela, Patinho e Coelhinho trazem uma nova abordagem cômica impagável de como lidar com adultos que os irritam. Seus planos imaginários são espetaculares e trazem uma nova dinamica ao filme.

CRÍTICA: TOY STORY 4 (Sem Spoilers)

Em geral, Toy Story 4 é um filme para toda a família com uma mensagem forte e bem estruturada que crescer é parte da vida, e todos tem direito de serem felizes da melhor maneira que desejarem… até mesmo simples brinquedos devem superar suas limitações e assim abraçar um novo propósito para alcançar a felicidade.

IMPORTANTE: HÁ UMA CENA SECRETA NA ASSINATURA DA PIXAR APÓS TODOS OS CRÉDITOS TERMINAREM! NÃO SAIAM DO CINEMA SEM VÊ-LA!

Avaliação: 5 com muitos aplausos!

CRÍTICA: TOY STORY 4 (Sem Spoilers)

Related posts

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.