CRÍTICA: FÊNIX NEGRA (COM SPOILERS)

O ultimo filme da franquia X-Men da Fox é uma grata surpresa. Contrariando todas as expectativas esperadas para essa produção, o filme se mostrou uma boa aventura da equipe mutante e podemos dizer que é um bom encerramento para a saga desenvolvida pela fox no decorrer desses anos.

A trama se inicia em 1975 onde mostra uma jovem Jean Grey que deve lidar com sua situação e poderes após um trágico evento que a leva a conhecer Xavier e ingressar na mansão. O filme salta para 1992 onde a equipe mutante está em seu auge como heróis reconhecidos pela mídia e pela população. Charles tem até uma linha direta com o presidente dos Estados Unidos para serem convocados em momentos de grave crise. Nesse período há um incidente envolvendo uma missão espacial americana e a aproximação de um estranho fenomeno, os X-men são chamados para o resgate e, como vemos no trailer, Jean acaba por ser atingida e alterada pela estranha energia. Este arco de história é bem próximo dos eventos descritos na chamada “Saga da Fênix” que foi publicado na década de 80, porém com algumas adaptações narrativas para dar sequência aos personagens cinematográficos apresentados em X-Men – Primeira Classe (2011).

CRÍTICA: FÊNIX NEGRA (COM SPOILERS)

A partir deste ponto, o filme alterna seu tom heróico para um drama pessoal de Jean que deve lidar com sua nova condição e oscila entre estas duas pontas. Os personagens presentes estão muito bem caracterizados, porém o filme não é livre de falhas do roteiro e há uma grande desconexão com os eventos apresentados no excelente Dias do Futuro Esquecido (2014). Uma das coisas que mais incomoda é o fato de que a produção não se importou com o envelhecimento dos personagens principais, dando a sensação de que a diferença de quase trinta anos existente entre Primeira Classe e Fênix Negra mais pareça inexistente. James McAvoy, um ator com seus 40 anos de idade, por exemplo apenas perde seus cabelos, a mesma coisa ocorre com Hoult que interpreta o Fera que tem a aparência jovial preservada.

Em Fênix Negra, vemos um tema importante a ser levado em conta sobre o preconceito, elemento importante na essencia dos X-men, onde vemos que apesar de pessoas marginalizadas receberem todo apoio e prestígio de governantes e público, basta um “dia ruim” para que tudo o que se foi conquistado seja jogado fora em um estalar de dedos. Além disso, há uma decisão do Professor que envolve o uso ético de seus poderes que é apresentada, mas nunca desenvolvida plenamente, e em dado momento é ignorada em beneficio da narrativa. Magneto se porta como um coadjuvante, já que seus poderes foram também reduzidos conforme a necessidade do roteiro em beneficiar o protagonismo de outros heróis, e nem há nenhuma desculpa sobre idade envolvida nessa narrativa.

CRÍTICA: FÊNIX NEGRA (COM SPOILERS)

Há um momento do filme onde somos levados até a nova morada de Magneto que confesso ter achado totalmente idiota o lugar ser apresentado como uma favela de conteiners, sabendo dos poderes do mestre do magnetismo e a presença de uma quantidade razoável de “mutantes” nessa ilhota (que pode ser Genosha, mas nada é falado). Em uma decisão bizarra e sem sentido algum, o governo envia um par de helicopteros até o local com soldados armados com equipamento convencional… Convenhamos, era para esse grupo de soldados ser alguma ameaça a Magneto? Eles chegam no local sem armas especiais ou táticas especializadas em helicopteros… Lembro que no filme X-Men 2 pelo menos o governo americano aprendeu como lidar com Magneto… E vai me dizer que após os incidentes vistos em X-Men:Dias do Futuro Esquecido e X-Men:Apocalipse, ninguém pensou em contramedidas? Nas HQs até a Marvel tem arcos de história que mostram os chamados Protocolos Magneto que visavam estudar e neutralizar os poderes do rival de Xavier para que pudessem elimina-lo de maneira eficiente e tudo financiado pela ONU. E por falar em vilão…

CRÍTICA: FÊNIX NEGRA (COM SPOILERS)

Vamos agora falar de uma das coisas mais fracas do filme, os antagonistas. De longe, a pior parte do filme é este grupo de alienigenas que está caçando a Força Fenix. A conveniência de economizar nos efeitos especiais e maquiagem desses novos adversários é gritante, pois eles são metamorfos que assumem a forma humana (mas não são Skrulls, o que é decepcionante). A líder deste grupo, chamada Vuk (um nome que é citado em meio a um dialogo em lingua alienígena e só pode ser compreendido como nome se você visitar o site do IMDB), possui profundidade de um pires rachado. A própria atriz Jessica Chastain parece estar desconfortavel com o papel que mal consegue apresentar um personagem interessante. Como comentei antes, há grandes falhas do roteiro e um deles envolve um “poder” dos alienigenas que é usado no inicio do filme e esquecido completamente durante a sequencia espetacular de ação no trem. Não sei explicar porque uma raça alienigena com tecnologia e poderes superiores a disposição tenha preferido usar apenas força bruta sem nenhuma estratégia ou recursos avançados para alcançar seu objetivo de “roubar” a Força Fênix de Jean. Em minha opinião, havia uma quantidade enorme de vilões das HQs que poderiam receber destaque nesse filme e dar um sentido parecido com o que o roteirista e diretor Simon Kinsberg desejava apresentar nesta história.

CRÍTICA: FÊNIX NEGRA (COM SPOILERS)

Esse problema de economia de efeitos especiais e muletas dentro do roteiro acabam até por retirar de ação o próprio Peter Maximoff, o Mercúrio / Quicksilver (Evan Peters) da Fox, e jogar fora a chance de utilizar a mutante Cristal / Dazzler (Halston Sager) mais do que dois minutos. A frustração dessas decisões é compensada em parte pelas sequencias de ação e combate que mostram a equipe de mutantes agindo de maneira eficiente e demonstrando competência tática. Até mesmo o Professor X entra em campo, uma grata mudança de atitude, porém claramente o roteiro reduz dramaticamente seus poderes para permitir que outros personagens possam ter o holofote.

CRÍTICA: FÊNIX NEGRA (COM SPOILERS)

No geral, o filme diverte e tem ótimas sequencias de ação super-heróica(destaque para a invasão do trem de prisioneiros) apesar dos tropeços que enumerei acima. Fênix Negra sofreu diversas refilmagens e modificação de roteiro para chegar a esse resultado positivo, sem falar que todo o terceiro ato foi refeito após os testes iniciais de exibição terem sido muito criticados. Aproveito para avisar que este filme apesar de ser da Marvel, não possui cena pós-crédito!

Avaliação:

CRÍTICA: FÊNIX NEGRA (COM SPOILERS)

Related posts

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.