0 6 min 1 mês
4
(5)

Divertida Mente 2 marca a sequência da famosa história de Riley, agora com 13 anos e enfrentando a pré-adolescência. Esta nova fase na vida de Riley traz consigo uma série de mudanças, tanto em sua vida quanto na dinâmica dentro de sua mente. A história apresenta um salto temporal que nos permite ver a evolução de Riley e, com isso, as transformações em sua sala de controle mental.

No primeiro filme, conhecemos as cinco emoções primárias de Riley: Alegria, Tristeza, Raiva, Medo e Nojo. Estamos administrando o centro de controle de Riley de maneira bastante tranquila, considerando a turbulência com a qual eles tiveram que lidar. Mas toda essa estabilidade vira de cabeça para baixo ou do avesso em Divertida Mente 2 com o surgimento de novas emoções que espelham todas as alegrias/complicações da pré-adolescência.

Essas novas adições de emoções como Ansiedade, Inveja, Tédio, Vergonha e Nostalgia são simplesmente brilhantes. A ansiedade, personificada por Maya Hawke, é muito abrangente. Sente-se a presença dela, o que contribui tremendamente para o retrato psicológico de Riley. Maya Hawke mostra perfeitamente como esse sentimento de ansiedade é perturbador, o que a torna uma adição marcante ao elenco emocional de Riley.

Mais uma vez, a forma como as emoções antigas interagem com as novas fornece alguns dos destaques absolutos do filme. A sempre otimista Joy se esforça para se manter forte e manter as coisas harmoniosas, mas tem dificuldade ao lidar com emoções que ela simplesmente não consegue. A tristeza ainda é uma força motriz na mente de Riley, trazendo para casa alguns momentos fantásticos de introspecção e empatia. Raiva, Medo e Nojo, por outro lado, trazem um alívio cômico muito necessário e situações com as quais muitos – senão todos – adolescentes, e na verdade adultos, podem se identificar.

O que é mais interessante, porém, é a dinâmica entre a ansiedade e outras emoções. Ao contrário dos Medo, que respondem apenas a perigos claros e presentes, a Ansiedade reage a uma série de incertezas e pressões sociais que colocam Riley numa situação problemática. A abordagem que o filme faz com uma emoção tão complexa é cautelosa e respeitosa, provando como é importante reconhecer e lidar com a ansiedade de maneira saudável.

Inveja, Tédio, Vergonha e Nostalgia são de importância quase igual. A inveja – a garota má das emoções – é interpretada com gosto malcriado por Ayo Edebiri e Vergonha por Paul Walter Hauser, lembrando Riley da pressão do que os outros podem pensar deles e da autocrítica que muitos adolescentes experimentam. O tédio, ou melhor, o caráter letárgico do tédio, é retratado com um encolher de ombros por Adèle Exarchopoulos, lembrando a monotonia que pode envolver a escola e a vida cotidiana. Ao mesmo tempo, Nostalgia, interpretada por June Squibb, dá uma olhada no passado de Riley.

A animação em Divertida Mente 2 está no mesmo nível do original. É simplesmente fantástico. A sala de controle mental mudou para refletir o desenvolvimento de Riley e suas complicações emocionais. Cores brilhantes e detalhes finos tornam as emoções e cenas dentro da mente de Riley muito realistas.

O roteiro também é muito bem escrito, com excelente equilíbrio entre humor e momentos emocionais. A trilha sonora complementa perfeitamente as cenas, aumentando a emoção e tornando a atmosfera envolvente. A direção é excelente, com a intensidade da emoção sendo transmitida de forma clara e eficaz.

Divertida Mente 2 é muito mais do que apenas uma sequência. Este é tão profundo e sensível e traça o cabo de guerra de emoções no coração de um adolescente. Com questões relacionadas com a saúde mental e a auto-aceitação e a necessidade de saber como e porquê as emoções devem ser compreendidas e geridas, este trabalho ressoou não apenas com os adolescentes, mas com qualquer pessoa que tenha passado por esta fase altamente turbulenta da vida.

Esses personagens cativantes são desenvolvidos aqui com acréscimos bem-vindos ao elenco emocional de Riley, que é bem pensado e coreografado. Seja nova ou antiga, cada emoção tem algo único para trazer à mesa e contribuir para uma narrativa rica e multifacetada.

Concluindo, Divertida Mente 2 é um filme que não só diverte, mas também educa e inspira. Isso nos lembra da importância de todas as emoções em nossas vidas, sejam elas positivas ou negativas. É um filme que vale a pena assistir com toda a família; traz lições valiosas para cada membro da família de uma maneira direta e emocionante. Na verdade, este Divertida Mente 2 é uma sequência poderosa feita com muita inteligência, coração e visão da psique humana.

Não deixe de se inscrever em nossos canais:
YoutubeFacebook e Instagram e de fazer seu comentário aqui no site!
Curta a página do Papo Aleatório para mais novidades.
VIDA LONGA E PRÓSPERA NERDS E GEEKS!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *