Batman nos HQs

0
(0)
Batman nos HQs

Todos sabem que o Batman é o herói mais popular da DC, suas revistas, jogos e filmes são uma mina de ouro quase inesgotável. Aqui vou falar de umas sagas ou one-shots que provam isso.

12 – A Corte das Corujas

Por incrível que parece temos uma saga que não conta com os maiores vilões de Gotham, aqui somos apresentados a um grupo que aparentemente tem guiado a cidade das Sombras, a saga até ganhou um adaptação na animação Batman VS Robin.

Scott Snyder e Greg Capullo trazem a Corte da Coruja, mostram mais faces de Gotham e do Batman, as consequências ainda repercutem até hoje no universo do Morcego.

11 – Terra Um

Consideramos por muitos a origem definitiva do Morcego, Terra Um criada por Geoff Johns e Gary Frank, mesmo não trazendo novidades tudo é recontado de maneira clara e direta. Com um Bruce aprendendo a ser Batman temos um visão de quão longo pode ter sido o caminho do Cavaleiro das Trevas.

A arte de Gary Frank traz uma nova ótica às emoções do Batman e como ele tem de se controlar para combater o crime. Além de flashbacks que mostram o menino Wayne e se guardião e parceiro Alfred, que se mostra um mentor tanto em combate como na filosofia que guia o Guardião de Gotham.

10 – Guerra ao Crime

Existem três grandes destaques nesta graphic novel, a arte deslumbrante de Alex Ross, os quadros sem limites e a falta dos balões de diálogos, aqui o texto vai sobre as imagens, que traz os pensamentos do herói. Com um toque noir este one-shot, pois cada página é uma obra de arte, com o realismo dos textos de Paul Dini traz uma Gotham bem real mostrando as dúvidas e medos do Batman.

09 – Morte em Família

Todos os fãs de HQs conhecem ou pelo menos já ouviram falar desta história, aqui vemos a busca de Jason Todd por sua mãe e como Dennis O’Neil deixou com os leitores o destino do personagem, muitos alegam que houve fraude nesta disputa, porém Jim, Starlin e Jim Amparo deram aos leitores o que eles queriam. O Fim de Jason de maneira brutal, inclusive com a cena clássica do Robin morte nos braços do Cavaleiro das Trevas.

08 – Batman Preto e Branco

Bem essa obra prima conta com roteiristas como Neil Gaiman, Bruce Timm, Archie Goodwin, Klaus Janson e Katsuhiro Otomo entre outros, aqui nesta coletânea são dinâmicas e mostram aspectos diferentes do Cavaleiro das Trevas, como o nome mesmo diz é tudo em preto e branco.

A ideia veio da mente de Mark Chiarello que usou com inspiração a revista Creepy – Contos Clássicos de Terror temos histórias bem interessantes como a de Neil Gaiman que põem Batman e Coringa como atores que representam heróis e vilões.

07 – Batman – Noite das Trevas – Metal

Uma das maiores sagas da atualidade da DC: Noite das Trevas – Metal. Onde vemos versões do Batman de várias realidades e como tudo estava interconectado a ressureição do Batman e do Coringa, essa saga criada por Scott Snyder e Greg Capullo, que caminha pelo multiverso mostrando eventos memoráveis e fantásticos.

Batman parte para investigar um poderoso metal desconhecido, porém ele não é o único o Gavião Negro também está investigando, isso acaba revelando seitas imemoriais, que cultuam um Deus dos primórdios do universo, assim versões malignas do Batman aparecem, são elas: a Morte Vermelha (Flash), A Máquina Assassina (Ciborgue), o Destruidor da Alvorada (Lanterna Verde), A Afogada (Aquaman), O Devastador (Apocalipse) e O Impiedoso (Ares). O Batman Que Ri é a versão do Batman que sucumbe à loucura do Coringa.

A dobradinha de Snyder e Capullo traz uma variação de Batmans capazes de fundir a mente dos leitores, mas a história traz uma visão nova sobre a Liga e principalmente sobre a Trindade, com eventos que ainda tem influência nas revistas da DC.

06 – Asilo Arkham – Uma Séria Casa em um Sério Mundo

Aqui temos um versão Gotham de Alice no País das Maravilhas, com o Asilo Arkham como País das Maravilhas, Batman como a protagonista da história de Lewis Carrol que persegui um Coringa que faz o papel de Coelho Branco.

Arkham se torna um estranho cenário para essa fantástica aventura, com as artes escuras de Dave Mckean, que lembra o surrealismo, arrasta o leitor a um mergulho na loucura no ambiente do Asilo.

Se isso não fosse o suficiente temos o primoroso roteiro de Grant Morrison, que descama o Asilo e seu fundador Amadeus Arkham, com um narrativa mais voltada para o lado psicológico, a história despedaça e refaz os personagens de uma maneira fantástica.

05 – O Longo Dia das Bruxas

Se Batman – Ano Um tivesse uma sequência seria, O Longo Dia das Bruxas, que traz o assassino do Feriado, Batman, Dent e Gordon tentam deter o Feriado antes que ele faça sua próxima vítima.

O roteiro de Jeph Loeb e os traços de Tim Sale, essa saga mostra a evolução do herói e os caminhos que levaram o promotor de Gotham a sua vertiginosa queda que o transformou em Duas Caras.

Com um que de arte noir O Longo Dia das Bruxas inspirou de uma maneira sutil O Cavaleiro das Trevas de Christopher Nolan e aparentemente o novo filme do Morcegão será inspirado de maneira profunda nessa graphic novel. Acho que isso são ótimos motivos ou não?

04 – A Piada Mortal

Se Ano Um nos deu a origem definitiva de Batman, A Piada Mortal é seu equivalente para o Coringa.

Com Alan Moore e Brian Bolland, trouxeram uma visualização do psique humana em seu estado pós-traumáticos. O Coringa traça um plano com a premissa de que qualquer um pode enlouquecer se tiver um dia realmente ruim, para isso ele vai atrás de uma das figuras mais incorruptível de Gotham. O Comissário Jim Gordon.

Para isso ele foi até a casa do Comissário, disparou a queima roupa contra Barbara Gordon (aqui vale ressaltar que existe uma teoria que ela foi estuprada na frente do pai) e torturou e depois raptou Gordon e deixou sua filha para morrer.

Com a história da origem do Palhaço do Crime sendo contada ao mesmo tempo em que Gordon passa pelo inferno na terra. A Piada Mortal ser tornou um HQ inesquecível, impactante e adorado, ao ponte de ganhar uma adaptação na animação do mesmo nome.

03 – Batman – Batman que Ri

Como foi tido a acima a saga Noites das Trevas – Metal, além de versões do Batman, houve uma que chamou tanta atenção que ganhou espaço visto poucas vezes nas HQs, o Batman que Ri, pode ser visto no novo Mortal Combat para vocês terem uma ideia de como ele cresceu nas histórias em quadrinhos.

Em uma das 52 terras paralelas, nesta dimensão, o Coringa envenena um grupo de crianças deixando elas tão loucas quanto ele, isso ser torna a gota d’água para o Morcegão, que parte para a luta decisiva e mata a Palhaço do Crime.

Mas o Coringa tinha uma plano e em sua cartada final o vilão libera uma toxina que envenena o próprio Bruce, que aos poucos vai se sucumbindo a loucura.

A HQ tem cenas de tirar o folêgo uma delas quando Robins e ex-Robins são surpreendidos e assassinados a sangue frio pelo próprio Bruce, depois ele adota aquelas crianças que foram expostas à toxina, transformando-as em Robins demoníacos e canibais.

Com o roteiro de James Tynion IV e a arte de Riley Rossmo, para criar um Batman Que Ri que conseguiu ser fascinante ao ponto de deixar os leitores apaixonados por aquela figura mórbida e assustadora. Deste então podemos ver o personagem em diversas histórias, enfrentando não só o Batman, como também a Liga e mostrando ser tão preparado quanto o Morcegão.

02 – Ano Um

Aqui temos a origem do Cavaleiro das trevas, Ano Um é mais que apenas a “Origem” contadas tantas e tantas vezes, ela trata da transformação, de como a dor foi moldada para que alimentasse o fogo que queima na alma de Bruce.

Frank Miller nos dá um personagem quase palpável, fazendo com que acreditemos que o Batman é essencial para a sobrevivência de Gotham e de seu povo. Assim como a chegada de James “Jim” Gordon a cidade, assim Jim passa a começar sua jornada paralela a de Bruce no combate a criminalidade.

01 – O Cavaleiro das Trevas

É sem sobra de dúvida a mais conhecida história do Batman, com uma animação em duas parte e serviu de inspiração para o Batman VS Superman de Nolan.

Frank Miller começa nos mostrando uma Gotham sem o Batman, assim Bruce se vê obrigado a fazer algo contra a violência que assolava sua cidade. A história segui uma ascensão fantástica, de marginais para super vilões, chegando a uma luta contra o representante do EUA, representado por ninguém mais, ninguém menos que o Azulão.

Miller nos mostra um Batman calejado, sem esperança e capaz de tudo para vencer, também um sociedade impactada pelos heróis, a mídia que diz o que quer sem se importar com as consequências.

Com traços marcantes e uma roteiro Frank Miller nos embriaga com uma HQ atemporal que redefiniu os padrões de todas as publicações, por isso para mim esta é a melhor das histórias do Batman.

Não deixe de se inscrever em nosso canal do Youtube: youtube.com/c/papoaleatorio e de fazer seu comentário aqui no site!

Curta a página do Papo Aleatório para mais novidades.

VIDA LONGA E PROSPERA NERDS E GEEKS!

Related posts

Leave a Reply

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.